Edição extra de MUDAR É BOM apresenta propostas para um PLANO DE COMBATE AO CORONAVÍRUS em São Luís

Em sua conta no Twitter, o professor Franklin Douglas sugeriu à Prefeitura de São Luís ações imediatas para o combate ao Coronavirus.

“Que o prefeito Edvaldo Holanda Jr tenha a grandeza que o momento exige e aceite algumas dessas propostas elaboradas. É hora de pensar a política (de saúde) na frente do eleitoral!”, defendeu.

Com a colaboração do professor de Medicina da UFMA, Antonio Gonçalves, as 18 propostas apresentadas constituem um plano contra a COVID-19 em São Luís.

De ações imediatas à defesa de isenção das contas de água e luz aos trabalhadores de baixa renda, o plano propõe também a criação de espaços, na rede pública e privada, de suporte ventilatório para casos de internação (entubação e respiradores), pois o Socorrão já está superlotado em suas UTI´s.

A isenção nas contas de luz da Cemar e de água da Caema se justificam pela desaceleração da atividade comercial, o que diminuirá bastante a renda de ambulantes e trabalhadores autônomos, no comércio, no turismo e na cultura.

O plano também sugere manter a suspensão das aulas, mas fornecendo cesta básica com os produtos da alimentação escolar para que as crianças não fiquem prejudicadas por falta da merenda escolar durante esses dias.

Com essas propostas, a saúde da população vem em primeiro lugar, depois a disputa eleitoral. É tempo de colaboração, sustenta Franklin Douglas, que é doutor em Políticas Públicas. Confira abaixo o plano sugerido:

PROPOSTAS PARA UM PLANO DE CONTINGÊNCIA DO COVID-19 EM SÃO LUÍS

1. Instalar grupos de orientação e distribuição de álcool gel nos terminais de integração, disponibilizando água e sabão nos banheiros desses terminais;

2. Reduzir ao máximo o contato social, para minimizar o potencial de transmissão do vírus, orientando a Guarda Municipal e a Blitz Urbana a intensificarem a fiscalização a fim de dispersar eventos de grande aglomeração;

3.  Determinar que as empresas de ônibus façam a limpeza dos veículos a cada viagem completada na linha de transporte;

4. Manter a suspensão das aulas, mas fornecer cesta básica com os produtos da alimentação escolar para que as crianças não fiquem prejudicadas por falta da merenda escolar durante esses dias;

5. Ao mesmo tempo, fazer gestão junto às empresas para que abonem as faltas em dias alternados de pais e mães, para que fiquem com os filhos em casa, durante a suspensão das aulas, a fim de não sobrecarregar os avós e idosos no cuidado com as crianças;

6. Instalar uma barreira sanitária na rodoviária, aeroporto e ferryboat, com trabalho educativo, desinfecção e medição de temperatura;

7. Fazer imediato trabalho de educação nas feiras da cidade. Suspender, temporariamente, as atividades da Feirinha da Cidade;

8.  Suspender as atividades coletivas do CAPS;

9. Criar espaços, na rede pública e privada, de suporte ventilatório para casos de internação (entubação e respiradores), pois o Socorrão já está superlotado em suas UTI´s;

10. Entrar em contato com a embaixada da China a fim de solicitar do governo chinês a doação de respiradores para São Luís;

11. Antecipar a cobertura vacinal da gripe sazonal, a fim de evitar que os idosos tenham as duas enfermidades (a gripe sazonal e o COVID-19);

12. Treinar os agentes de saúde para repassarem, casa a casa, a importância de lavar as mãos, os procedimentos de prevenção e a gravidade do COVID-19. Tal capacitação pode ser em parceria com a Núcleo de Ensino a Distância (NEAD) da UFMA e seus departamentos da área de saúde;

13. Definir um protocolo de procedimentos no âmbito das unidades de saúde do município;

14. Disponibilizar plantão de 24 horas para exames laboratoriais;

15. Aumentar o número de profissionais de saúde em plantão (médicos e enfermeiros);

16. Entrar em contato com o governo cubano, a fim de viabilizar um batalhão emergencial de médicos em São Luís, pelo período de contenção da pandemia na cidade;

17. Fazer gestão junto à CEMAR para suspender a cobrança das contas de luz dos moradores de baixo consumo, haja vista a desaceleração das atividades de comércio, turismo e cultura na cidade, dificultando o trabalho informal de ambulantes e trabalhadores autônomos nesse período;

18. Fazer a mesma solicitação ao Governo do Estado, para que suspenda a cobrança das contas de água da CAEMA.

%d blogueiros gostam disto: